Skip to content

Auxílio emergencial expira após 17 meses com liberação de provisões da última parcela para pessoas nascidas em dezembro

Com lançamento nesta sexta-feira, após 17 meses, todo o calendário de benefícios está chegando ao fim. Os pagamentos foram finalizados em 31 de outubro.

Lançado em abril de 2020 para mitigar os impactos econômicos causados ​​pela pandemia do coronavírus, o auxílio emergencial transferiu quase 359 bilhões de reais de 2020 a 2021. Foram duas fases: nove desembolsos no ano passado e sete neste ano, de abril a outubro.

Dúvidas marcam fim do Bolsa Família e do auxílio emergencial

Dúvidas marcam fim do Bolsa Família e do auxílio emergencial

Fim do auxílio emergencial deve deixar mais de 22 milhões de pessoas sem benefícios

A ajuda, essencial para milhões de brasileiros durante os meses de crise aguda causada pela pandemia de coronavírus, “diminuiu” ao longo do tempo. De parcelas de R$ 600 para 67 milhões de pessoas, este ano já atendeu 39,4 milhões, com parcelas finais de R$ 200. E o número de beneficiários também diminuiu.

Segundo o Ministério da Cidadania, 34,4 milhões de famílias receberam atendimento emergencial em outubro. Desse público, 25 milhões não fazem parte do público do Bolsa Família (são trabalhadores cadastrados por meio digital ou que fazem parte do cadastro único)

Os beneficiários do Bolsa Família emigraram automaticamente para o Auxílio Brasil, o novo programa social do governo federal. A maioria dos trabalhadores informais cadastrados no CadÚnico não recebe mais nenhum benefício.

Para pelo menos 22 milhões de pessoas, toda a ajuda acabou, deixando incerto como sobreviver, se alimentar e pagar contas, em um país pobre com quase 14 milhões de desempregados.

Número de programas sociais – Foto: Economia g1

Recebi o auxílio emergencial, vou receber o Auxílio Brasil?

Quem recebeu o auxílio emergencial não receberá imediatamente o Auxílio Brasil.

Este mês, o Auxílio Brasil será pago a cerca de 14,6 milhões de pessoas que fizeram parte do Bolsa Família. Até dezembro, o governo promete acrescentar mais 2,4 milhões de beneficiários à lista, pessoas que já estão cadastradas no Cadastro Único e que estavam na lista de espera do Bolsa Família fazem parte dessa lista.

“É possível receber o Auxílio Brasil desde que a pessoa que recebeu o auxílio emergencial esteja cadastrada no Cadastro Único do governo federal e se enquadre nessa faixa. impactos sociais de pessoas que foram impedidas de operar na economia durante a pandemia”, disse o Departamento de Cidadania em comunicado.

Para quem ainda não está cadastrado no Cadastro Único, a forma de se beneficiar da vantagem é pesquisar os Cras de sua cidade e se cadastrar. O governo deve selecionar novos beneficiários todos os meses. No entanto, é importante lembrar que não há prazo para a concessão do benefício, nem qualquer garantia de que ele será concedido.