Skip to content

Auxílio Emergencial 2021: veja o calendário atualizado da 6ª parcela

Na próxima sexta-feira, 17, o pagamento do 6ª Entrega do Auxílio Emergencial 2021. A segunda parcela da expansão será paga para cerca de 40 milhões de brasileiros no mês e tem datas diferenciadas para o público em geral e o grupo Bolsa Família. Conheça o programa completo para ambos os grupos aqui no artigo.

A Sexta parcela do auxílio de 2021 começará a ser paga aos membros do Bolsa Famíliaeles vão receber a partir do dia 17 de setembro (fim do NIS 1). Este grupo terá o dinheiro depositado até 30 de setembro para os beneficiários com 0 NIS final. As datas de prorrogação do auxílio emergencial do Bolsa Família ainda seguem o cronograma oficial do programa, assim como os pagamentos anteriores.

Para a maioria das pessoas admitidas no pronto-socorro, um grupo formado por trabalhadores informais, MEI e cadastrados no Cadastro Único, o A sexta parcela será depositada em uma conta poupança digital entre 21 de setembro e 3 de outubro. O programa de retirada e transferência do Ciclo 6 terá início no dia 10/04.

O pagamento da prorrogação do auxílio 2021 começou em agosto pelos beneficiários do Bolsa Família, que receberam a quinta parcela entre 18 e 31 de agosto. Dois dias depois, no dia 20, a Caixa liberou a quinta entrega ao consumidor. A programação deste grupo também terminou no último dia de agosto.

Prorrogação do auxílio emergencial 2021 vai até outubro

O governo federal decidiu estender o auxílio emergencial por mais três meses em 2021. Previsto para durar entre abril e julho, o auxílio financeiro incluirá três parcelas adicionais a serem pagas em agosto, setembro e outubro. Os valores são os mesmos da tarifa original: R$ 150 para solteiros; R$ 375 para mães solteiras; e R$ 250 para outras famílias.

O número de pessoas cobertas também não aumentará. A Secretaria de Cidadania se comunicou com o Decreto Executivo nº. 10.740 que a prorrogação do auxílio 2021 será paga apenas para quem recebeu as quatro parcelas anteriores e ainda atende aos critérios de elegibilidade.

Portanto, não haverá novo prazo de cadastro para prorrogação do Auxílio Emergencial 2021. O beneficiário terá que verificar a situação de seu serviço no site da Dataprev somente após a reanálise dos cadastros e, conforme na medida do possível, oponha-se caso não concorde com o motivo que levou à rejeição da nova fase de pagamento.

Para verificar se foi autorizado a receber as parcelas 5, 6 e 7 do auxílio emergencial, o cidadão deve acessar o portal Dataprev – ver auxilio.dataprev.gov.br – e preencher o número do CPF, nome completo e data de nascimento . Caso seja verificado que o pagamento do auxílio foi efetivamente cancelado após a análise da Dataprev, o beneficiário terá 10 dias a partir da publicação do resultado para interpor recurso.

Para contestar o resultado da prorrogação do Auxílio Emergencial, o beneficiário deve clicar no botão “Contestação”, que aparece na tela após consultar o portal Dataprev. Após clicar nessa opção, será exibida uma pergunta se o cidadão realmente deseja enviar o desafio e, uma vez confirmado, o desafio será enviado à Dataprev para avaliação.

Calendário da 6ª parcela de setembro

A segunda parcela da Prorrogação do Auxílio 2021 será paga aos beneficiários na segunda quinzena de setembro. Nesta ocasião, ao contrário dos pagamentos anteriores, o calendário das prorrogações não é antecipado e as datas divulgadas pela Caixa são definitivas.

Portanto, sem entrada, os beneficiários terão que esperar em média 15 dias entre o depósito e a data em que o saque será liberado nos caixas eletrônicos. O plano previdenciário divulgado pelo Ministério da Cidadania prevê a Retirada da 6ª tranche entre 4 e 19 de outubro.

Confira o programa completo de 6 de setembro para o público em geral:

Calendário da 6ª parcela – Auxílio Emergencial 2021 (público)
mês do nascimento Data de crédito da conta Data de saque em dinheiro
Janeiro 21 de setembro 4 de outubro
Fevereiro 22 de setembro 5 de outubro
Marchar 23 de setembro 5 de outubro
abril 24 de setembro 06 de outubro
ele pode 25 de setembro 08 de outubro
Junho 26 de setembro 11 de outubro
Julho 28 de setembro 13 de outubro
Agosto 29 de setembro 14 de outubro
Setembro 30 de setembro 15 de outubro
Outubro 1º de outubro 18 de outubro
novembro 02 de outubro 19 de outubro
dezembro 03 de outubro 19 de outubro

O grupo Bolsa Família receberá a sexta parcela do auxílio 2021 a partir de 17 de setembro. O calendário do Bolsa Família em setembro segue até 30/09 com o pagamento dos associados que tiverem 0 NIS final. Veja as datas abaixo:

último dígito NIS dia do pagamento
uma 17 de setembro
deles 20 de setembro
3 21 de setembro
4 22 de setembro
5 23 de setembro
6 24 de setembro
7 27 de setembro
8 28 de setembro
9 29 de setembro
0 30 de setembro

Regras para recebimento da 6ª parcela

O decreto de prorrogação do auxílio emergencial por mais três meses estabelece que, para se beneficiar da prorrogação do benefício, o cidadão deve atender aos critérios definidos pela Disposição n. 1.039, que definiu as regras para pagamentos efetuados em 2021.

Segundo o parlamentar, o benefício será devido aos trabalhadores informais, cadastrados no Cadastro Único e beneficiários do Bolsa Família que tenham renda familiar mensal de até três salários mínimos (R$ 3.300) e renda familiar por pessoa de até o salário mínimo (R$ 550,00).

A medida cautelar também determina que quem:

  • ter vínculo empregatício formal ativo;
  • recebe recursos econômicos de previdência social, auxílio-trabalho ou auxílio-trabalho ou de programa federal de transferência de renda, com exceção do prêmio salarial e do Bolsa Família;
  • ter renda familiar mensal per capita superior a meio salário mínimo;
  • ser familiar com renda mensal superior a três salários mínimos;
  • reside no exterior, conforme definido em lei;
  • em 2019 recebeu lucro tributável superior a R$ 28.559,70;
  • possuía, em 31 de dezembro de 2019, a posse ou titularidade de bens ou direitos, inclusive terrenos baldios, em valor total superior a R$ 300.000,00;
  • em 2019, ter recebido rendimentos isentos, não tributados ou tributados exclusivamente na fonte, cujo valor ultrapasse R$ 40.000,00;
  • foi incluído, em 2019, como dependente de pessoa física sujeita ao imposto de renda na condição de: a) cônjuge; b) coabitante com quem o contribuinte tenha filho ou com quem viva há mais de cinco anos; c) genro ou genro menor de 21 anos ou menor de 24 anos matriculado em estabelecimento de ensino superior ou técnico de nível médio;
  • esteja confinado a regime fechado ou beneficie de assistência prisional;
  • são menores de 18 anos, exceto mães adolescentes;
  • ter CPF vinculado, como fundador, à concessão de anuidade em caso de morte de qualquer natureza;
    interromper a assistência de emergência ao avaliar a elegibilidade para a assistência de emergência de 2021;
  • for estagiário, médico residente ou residente multiprofissional, beneficiário de bolsa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – Capes, bolsa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq ou outras bolsas concedidas por municípios, estados , distritos ou agências do governo federal.
  • não alterou os valores do auxílio de 2020 para a poupança digital.