Skip to content

Auxílio emergencial 2022 ainda terá 5 parcelas de 600 reais para 500 mil pessoas

O governo federal continuará a emitir um novo ciclo de pagamento do auxílio emergencial em 2022. As parcelas de R$ 600 serão pagas a um grupo específico que terá direito ao auxílio retroativo.

No total, os beneficiários poderão receber até 3.000 reais em parcelas retroativas do auxílio emergencial. O primeiro lote de pagamentos foi liberado em 13 de janeiro e envolveu 823,4 mil pessoas. O governo estima que o grupo seja composto por 1,3 milhão de pais solteiros, deixando um grupo de cerca de 500.000 para receber quotas retroativas nos próximos meses.

Nesta nova rodada, o governo não divulgou um cronograma de pagamentos e todos os depósitos foram feitos em uma única data para os aprovados. A única data provisória confirmada pelo Ministério da Cidadania é que os pagamentos serão feitos nos primeiros meses do ano.

Quem tem direito ao auxílio emergencial retroativo?

O pagamento das parcelas retroativas do auxílio emergencial é garantido pela medida provisória (MP 10.841) que abre um crédito extraordinário para o pagamento da parcela do benefício complementar aos pais solteiros que receberam apenas uma parcela do auxílio em 2020.

Os impostos que começaram a ser pagos em abril daquele ano valiam R$ 600 para o público em geral e uma alíquota em dobro (R$ 1.200) para mães solteiras.

Na época, os chefes de família solteiros do sexo masculino não podiam se cadastrar para receber o benefício duplo. Para isso o Congresso Nacional aprovou no ano passado o pagamento retroativo para esse grupo e o depósito dos valores foi anunciado pelo governo federal no final do ano, mas o dinheiro começou a cair para o primeiro aprovado em janeiro de 2022.

A Valor retroativo do auxílio emergencial pago agora dependerá de quantas parcelas o pai solteiro recebeu em 2020. Por exemplo, se o cidadão se inscreveu no início do programa e recebeu todas as 5 parcelas de R$ 600 entre abril e agosto daquele ano, o adicional será R$ 3.000 em 2022. Quem recebeu três parcelas naquele ano agora terá direito a um pagamento retroativo de R$ 1.800. Em outras palavras, o valor é proporcional.

Consulta para atendimento emergencial na Dataprev

Para saber se terão direito a primeiros socorros retroativos, os pais solteiros devem fazer login no portal Dataprev e solicitar o CPF.

O site desenvolvido pela Dataprev – – ainda disponibiliza a consulta de benefícios mesmo após sua conclusão em outubro do ano passado. Portanto, todas as pessoas que receberam parte do benefício podem consultar o portal.

É importante ressaltar que esse pagamento não é uma nova prorrogação do auxílio emergencial e que não haverá um novo período de solicitação para recebimento dos valores. A nova transferência de assistência afetará apenas os chefes de família que estejam inscritos no Inscrição única até 2 de abril de 2020 ou quem se registou nas plataformas digitais até 2 de julho de 2020.

Além disso, o Departamento de Cidadania verificará se as famílias monoparentais atendem aos mesmos padrões exigidos para chefes de família do sexo feminino. Veja o que será analisado no controle:

CadÚnico Audiência e Auxílio Brasil (ex Bolsa Família): Será analisado se o pai solteiro está registrado como pai responsável e recebeu taxa simples para o pronto-socorro, se não possui cônjuge ou companheiro e se há pelo menos uma pessoa na família menor de 18 anos.

Público cadastrado pelo aplicativo e pelo site: como esse grupo não conseguiu selecionar a opção de arrimo de família no momento do cadastramento, a Secretaria da Cidadania agora vai verificar se o morador solteiro do sexo masculino que recebeu apenas parte do benefício (R$ 600) não tem cônjuge ou companheiro, se houver pelo menos uma pessoa menor de 18 anos no domicílio e não houve pagamento em dobro (R$ 1.200) a outro beneficiário ou designação de chefe de família por outra pessoa do mesmo grupo familiar.