Skip to content

Auxílio emergencial da Bósnia e Herzegovina de R$ 400 abre a consulta; veja como se cadastrar

A prefeitura de Belo Horizonte abre nesta quarta-feira, 17, a consulta sobre auxílio emergencial para 300 mil famílias na capital mineira. O benefício que tem valores variáveis ​​pode chegar a até R$ 400 por mês e terá a primeira parcela depositada até 15 de dezembro de 2021.

A Auxílio de Emergência PBH Foi aprovado em julho e visa dar apoio econômico a famílias em situação de pobreza, extrema pobreza, precariedade social e matriculadas na rede municipal de ensino.

para receber o Belo Horizonte ajuda a família deve estar inscrita ou ter pedido de inscrição no Cadastro Único (CadÚnico) até 30 de junho de 2021. Outro requisito que a família deve cumprir é ter renda familiar per capita de até um salário mínimo (R$ 550,00).

Famílias residentes em Belo Horizonte que possuem dependentes regularmente cadastrados na Rede Municipal de Ensino, também em creches conveniadas e escolas filantrópicas cadastradas no PNAE, nas modalidades de creche, ensino fundamental e jovens e adultos também podem ser beneficiadas.

Famílias previamente cadastradas até 30 de junho de 2021 e que são atendidas por políticas públicas municipais, independentemente de inscrição no CadÚnico, e que fazem parte do grupo familiar também poderão se beneficiar do auxílio emergencial da PBH.

  • mulheres submetidas a medidas protetivas impostas pela justiça por violência doméstica ou pessoas sob medidas protetivas de natureza diversa registradas na Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania – Smasac;
  • pessoas com deficiência – PCD – ou acometidas por doença rara atendidas pelo programa Superar e matriculadas na Secretaria de Esporte e Lazer – Smel;
  • vendedores ambulantes em veículos automotores autorizados pela Secretaria Municipal de Políticas Municipais – SMPU;
  • vendedores ambulantes em veículos de tração humana licenciados pela SMPU;
  • pessoas com deficiência – PCD – ou doenças raras autorizadas pela SMPU a exercer atividade comercial em local público;
  • integrantes da Operação Urbana Simplificada – Plano de Inserção Produtiva Ipercentri – aprovado pela SMPU;
  • Lavagens de carros licenciadas pela SMPU;
  • Polidor de sapatos licenciado pela SMPU;
  • expositores em feiras homologadas SMPU e Smasac;
  • empresários de grupos de economia solidária cadastrados na Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico – SMDE;
  • caminhoneiros cadastrados na empresa de transporte e trânsito de Belo Horizonte – BHTrans;
  • licenciados do serviço de ônibus escolar e trabalhadores cadastrados na BHTrans;
  • Agricultores urbanos registrados no Smasac;
  • cidades e comunidades tradicionais listadas no Smasac;
  • trabalhadores informais que atuam nos bastidores e nos palcos, artistas e grupos de cultura popular cadastrados na Secretaria Municipal de Cultura – SMC;
  • cooperativas de catadores de materiais recicláveis, cadastradas pela Superintendência de Limpeza Urbana – SLU;
  • catadores individuais de materiais recicláveis, conforme cadastro da Associação Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis ​​- Ancat – enviado previamente ao Smasac;
  • as pessoas atendidas pelos programas sociais de concessão e aluguel e pelas equipes de política habitacional, cadastradas pela Urbanização e de Habitação de Belo Horizonte – Urbel;
  • moradores de rua cadastrados no Smasac ou programa equivalente.

PBH Consulta de ajuda de emergência

Para saber se a família foi autorizada a receber o benefício, acesse o site do programa após 17 de novembro. Aconselhamento do auxílio emergencial em Belo Horizonte pode ser feito por CPF e pelo nome diretamente no site

Ao solicitar e verificar se foi considerado elegível para o atendimento do PBH, o familiar responsável deve verificar e, se necessário, preencher os dados pessoais de acordo com os registros do CPF na Receita Federal.

Para receber o pagamento, o beneficiário deve aceitar a duração da adesão ao programa e solicitar o pagamento de um ou mais benefícios.

Como não haverá cadastro no Auxílio Emergencial de Belo Horizonte, o pagamento só será liberado após o gestor da família visitar o local e solicitar o pagamento. Após a solicitação do benefício, o depósito será pago de forma periódica e automática, conforme calendário que será comunicado pela Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania – SMASAC.

Ajuda de emergência da Bósnia e Herzegovina pode ser solicitada até fevereiro

A Prefeitura de BH informou que haverá um prazo de 90 dias corridos a partir do início das consultas para solicitar o pagamento do benefício. Assim, o beneficiário terá entre 17 de novembro de 2021 e 15 de fevereiro de 2022 solicitar assistência da PBH no site. Se o beneficiário não cumprir o prazo, deixará de ter direito ao auxílio.

Também foi publicado um calendário com o prazo para solicitação do benefício e o prazo para pagamento, veja abaixo:

período de aplicação Pagamento
17 a 30 de novembro de 2021 Até 15 de dezembro de 2021
De 1 a 31 de dezembro de 2021 Até 15 de janeiro de 2022
De 1 a 31 de janeiro de 2022 Até 15 de fevereiro de 2022
1 a 15 de fevereiro de 2022 Até 10 de março de 2022

Montante da ajuda de emergência da Bósnia e Herzegovina

O Auxílio Emergencial da Prefeitura de Belo Horizonte contempla quatro tipos de benefícios, que podem chegar a R$ 400 por mês e por família. Mostrar valores-guia de PBH:

  • bolsa de R$ 600 por família, a ser paga em seis parcelas mensais consecutivas de R$ 100;
  • bolsa mensal de R$ 100 por família com aluno matriculado na rede pública municipal de ensino;
  • subsídio de R$ 600 para famílias em situação de pobreza, em seis prestações mensais consecutivas de R$ 100;
  • subsídio de R$ 1.200.000 para famílias em situação de extrema pobreza, a ser pago em seis parcelas mensais consecutivas de R$ 200.

O pagamento dos benefícios será cumulativo, ou seja, uma família pode receber mais de um tipo de benefício, sendo vedada a concessão simultânea de benefícios a famílias em situação de pobreza e extrema pobreza.

Por exemplo, uma família que vive em extrema pobreza (tem renda per capita de até R$ 89) e tem filho matriculado na rede municipal de ensino (antes da regularização da oferta de alimentação escolar) terá direito aos seguintes benefícios:

tipo de benefício Valor mensal
Ajuda a famílias em situação de extrema pobreza Seis parcelas mensais de R$ 200
Ajuda para famílias vulneráveis Seis parcelas mensais de R$ 100
Auxílio às famílias com alunos matriculados na Rede Municipal de Ensino, R$ 100 por mês
Crédito total R$ 400 por mês

No caso de assistência a famílias em situação de extrema pobreza e vulnerabilidade, a duração do pagamento será de seis meses. O auxílio-família com aluno matriculado não tem duração definitiva e será pago mensalmente até a regularização da alimentação escolar.