Skip to content

Bolsa família de R$ 300? Bolsonaro confirma um novo valor

O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta terça-feira (15) que o governo pretende aumentar o valor do tíquete médio para o Bolsa Família por R$ 300 em dezembro deste ano. A afirmação de Bolsonaro veio em entrevista à SIC TV, subsidiária da TV Record em Rondônia, na qual o presidente disse que o aumento de 50% já estava “praticamente acordado” entre os governantes.

Segundo Bolsonaro, a equipe econômica praticamente colocou o martelo no novo valor do Bolsa Família. Ele também citou a alta inflação das commodities na cesta básica para justificar o aumento do benefício. “Quanto ao Bolsa Família, tivemos uma inflação de 14% dos produtos da cesta básica, teve um artigo que subiu para 50%. E Bolsa Família, a ideia é dar um aumento de 50% em dezembro“, ele declarou.”Variaria de R$ 190 a R$ 300 em média, é mais ou menos isso“Ele disse.

Bolsonaro afirmou ainda que atualmente o número de beneficiários do Bolsa Família “está em torno de 18 milhões de famílias”. No entanto, segundo dados da Secretaria de Cidadania, o programa bateu recorde histórico de atendimento ao público em maio, com 14,69 milhões de famílias beneficiadas.

Também na entrevista de ontem, Bolsonaro confirmou a prorrogação do auxílio emergencial até setembro ou outubro. “Estamos na segunda parte das quatro da prorrogação do auxílio emergencial. E já está decidido [que haverá] mais duas ou três parcelas. A única coisa que falta é isso, enfim, uma média de R$ 250 de socorro emergencialDisse o presidente. Assista o vídeo :

A ideia de estender a ajuda por mais duas ou três parcelas foi confirmada na semana passada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. Segundo o ministro, o número de parcelas vai depender da taxa de vacinação da população adulta. “Os governadores dizem que em 2 ou 3 meses a população adulta estará totalmente vacinada, então vamos renovar o auxílio por 2 ou 3 meses, depois vem o Bolsa Família, que já foi fortalecido.disse Guedes.

400.000 filas para o Bolsa Família 2021

Uma reportagem do jornal Folha de S. Paulo revelou na semana passada que cerca de 400 mil famílias faziam fila para receber o abono em 2021. Em março deste ano, a fila do Bolsa Família era composta por aproximadamente 1,2 milhão de brasileiros. Destes, 763 mil foram considerados elegíveis para o auxílio emergencial que foi retomado em abril.

Apesar de já terem apresentado os documentos necessários para comprovar que tinham direito ao benefício, essas 400 mil famílias deixaram de estar seguradas por qualquer motivo. Segundo o jornal, o Ministério da Cidadania já reconheceu que são as pessoas abaixo da linha da pobreza e da extrema pobreza que, portanto, têm direito ao benefício.

A agência não explicou por que essas famílias não foram incluídas no auxílio emergencial como outras e apenas disse que o governo trabalhou para obter o máximo de cobertura possível.famílias em situação de vulnerabilidade, garantindo uma renda mínima para esse segmento da população, respeitando o limite orçamentário com responsabilidade fiscal“.

Com a confirmação da prorrogação do auxílio emergencial por mais dois ou três meses, o governo já anunciou sua intenção de concluir o projeto do novo programa que substituirá o Bolsa Família desde então. Até agora, o governo não divulgou mais detalhes sobre o novo programa, mas sabe-se que inclui os 14 milhões de assinantes do Bolsa Família e alguns beneficiários do auxílio emergencial.

Quinta-feira 17 de junho começa a terceira parcela do auxílio emergencial para o público Bolsa Família. Veja as datas de pagamento até o final do mês, que seguem o número de identificação social (NIS):

Calendário 3º episódio Bolsa Família

último dígito NIS dia do pagamento
uma 17 de junho
deles 18 de junho
3 21 de junho
4 22 de junho
5 23 de junho
6 24 de junho
7 25 de junho
8 28 de junho
9 29 de junho
0 30 de junho