Skip to content

Consulta e extrato do FGTS após o depósito dos lucros: veja como fazer

Mais de 88 milhões de trabalhadores brasileiros receberam em agosto parte dos benefícios do FGTS obtidos em 2020. Os valores foram repassados ​​da Caixa Econômica Federal com uma semana de antecedência, em 24 de agosto, pois o prazo de entrega foi fixado no final do ano. mês.

A distribuição dos resultados do Fundo é feita anualmente aos trabalhadores que tenham saldo em contas ativas ou inativas no último dia do ano de referência, neste caso 31 de dezembro de 2020.

Os valores a serem repassados ​​foram aprovados pelo Conselho de Administração do FGTS, que decidiu distribuir 96% do lucro líquido de R$ 8,47 bilhões obtido no ano passado. Assim, a Caixa depositou um total de 8,13 bilhões de reais em mais de 191 milhões de contas vinculadas a 88,6 milhões de trabalhadores.

O valor do depósito de utilidade do FGTS é calculado proporcionalmente ao saldo da conta existente na data do balanço. Após a transferência, o valor passa a fazer parte do saldo do trabalhador e pode ser sacado somente nos casos em que o saque do FGTS for autorizado nos termos da Lei 8.036/90.

O empregado pode consultar o saldo do FGTS fazendo login no aplicativo do FGTS, pelo site da Caixa Econômica Federal – fgts.caixa.gov.br – ou via internet banking para clientes bancários.

Como consultar o status da conta do FGTS

O saldo das contas vinculadas ao FGTS do empregado pode ser consultado online. O extrato já acompanhado do depósito dos ganhos pode ser verificado das seguintes formas:

  • por aplicativo,
  • mensagens móveis (SMS)
  • Site da Caixa – Caixa.gov.br/
  • internet banking da caixa.

Aplicativo Caixa para acessar informações sobre o FGTS para download nas lojas de aplicativos Google Play e App Store. Após o download, selecione a opção salvar, preencha os dados como CPF, nome completo, data de nascimento, e-mail e salve uma senha de login.

Após inserir seus dados, clique no botão “Não sou um robô”. Você receberá um e-mail de confirmação no endereço de e-mail fornecido durante o registro. Digite o endereço de e-mail e clique no link enviado pela Caixa.

Após a confirmação, abra o APP do FGTS e informe o CPF e a senha cadastrada.
Uma vez logado, mais perguntas sobre sua vida profissional serão exibidas. Após responder a essas perguntas, você deve ler e aceitar os termos de uso do Aplicativo clicando em aceitar.

Extraia FGTS via mensagem de celular

A Caixa também disponibiliza um serviço de mensagens SMS com informações mensais sobre os depósitos dos funcionários e o saldo atualizado do FGTS, além de avisar quando os valores a serem sacados forem liberados.

Para isso, você precisa cadastrar seu número de celular em um quiosque de autoatendimento da Caixa ou no link Cadastro e envio de mensagens são gratuitos.

Consulte o extrato do FGTS no site da Caixa

Também é possível consultar a declaração do FGTS diretamente no site da Caixa. Basta acessar o site www.caixa.gov.br/extrato-fgts, informar o número do seu NIS ou CPF e cadastrar uma senha. Em seguida, leia as regras e clique em aceitar.

Preencha todos os campos com seus dados pessoais. Crie uma senha de até 8 dígitos, com letras e números, e confirme.

Você será redirecionado para a tela de login. Preencha os campos com NIS ou CPF, insira a senha cadastrada e o botão de login.

Através do site é possível consultar extratos completos, atualizar informações e até acessar informações sobre SIP e seguro desemprego.

Quem pode sacar os rendimentos do FGTS em 2021?

É importante lembrar que embora o trabalhador tenha direito a uma parcela dos benefícios do FGTS, o a retirada de tais quantias é sempre limitada às regras do Fundo. Ou seja, o dinheiro só pode ser sacado em casos como demissão sem justa causa, aposentadoria, doença grave ou na compra do primeiro imóvel.

De acordo com a Lei 8.036/90, as situações que permitem o saque do FGTS são:

  • Demissão sem justa causa pelo empregador;
  • Rescisão do contrato a termo certo;
  • Rescisão por falência, morte do empregador individual, empregador doméstico ou nulidade do contrato;
  • Rescisão do contrato por culpa mútua ou força maior;
  • Aposentadoria;
  • Necessidade pessoal urgente e grave decorrente de calamidade natural causada por chuva ou inundação que tenha atingido o local de residência do trabalhador, quando a situação de emergência ou estado de calamidade pública for reconhecida por portaria do governo federal. (retirada anunciada em junho devido ao Coronavírus);
  • Suspensão única da relação de trabalho;
  • morte do trabalhador;
  • Idade igual ou superior a 70 anos;
  • portador de HIV – AIDS/AIDS (trabalhador ou empregado);
  • portador de HIV – AIDS/AIDS (trabalhador ou empregado);
  • Fase terminal por doença grave (trabalhador ou dependente);
  • Permanência do trabalhador titular da conta vinculada por três anos ininterruptos fora do regime do FGTS, com homologação a partir de 14/07/1990;
  • Estabilidade da conta de depósito caução por três anos ininterruptos sem comprovação de depósitos, em que a autorização de trabalho foi produzida até 13/07/1990;
  • Aquisição de habitação, liquidação ou amortização de dívida ou pagamento de parte das prestações do crédito à habitação.