Skip to content

Dataprev abre novo desafio do auxílio emergencial cancelado até 25 de junho

Na terça-feira, 15 de junho, foi anunciado o adiantamento do calendário para a 3ª parcela do Resgate de Emergência. Junto com as novas datas, o governo federal também informou que o prazo de recurso já está aberto aos beneficiários cujo auxílio emergencial foi cancelado em junho devido à revisão mensal do processo.

O cancelamento do benefício também pode ocorrer após o recebimento de uma ou mais parcelas do auxílio, uma vez que o Ministério da Cidadania, em colaboração com a Dataprev, verifica mensalmente os dados de todas as práticas aprovadas.

Portanto, se o beneficiário deixar de atender a um dos critérios previstos em lei, ele não terá mais direito ao próximo pagamento. para quem teve Auxílio emergencial cancelado Após a auditoria realizada em junho, o governo estabeleceu um prazo até 25 de junho pedir uma contestação do resultado.

O Ministério da Cidadania também comunicou o prazo de recurso para os beneficiários, cujo resultado foi anunciado no dia 16 de junho. Neste caso, o cidadão até 26 de junho solicitar uma nova análise.

As disputas são apresentadas no site da Dataprev

Antes contestar o auxílio emergencial cancelado O cidadão deve acessar o portal de consulta Dataprev – Consultaauxilio.cidadania.gov.br/consulta – e verificar a situação do seu benefício e os motivos que levaram ao cancelamento do benefício.

De acordo com o Ministério da Cidadania, se o motivo que motivou o cancelamento do auxílio emergencial 2021 permitir recurso, a Dataprev irá reanalisar o cadastro do cidadão e o trabalhador poderá recebê-lo novamente, caso aprovado.

O desafio do auxílio emergencial pode ser feito clicando no botão “A competiçãoApós clicar nessa opção, será exibida uma pergunta se o cidadão realmente deseja enviar o desafio e, uma vez confirmado, o desafio será enviado à Dataprev para avaliação. .

Após contestar as Contribuições recusadas, a Dataprev procederá a um novo processamento das contestações com base nos dados mais atualizados de seus próprios bancos de dados. Se o resultado for a falta de aprovação final, o benefício do cidadão será novamente analisado no mês seguinte, com o objetivo de que as análises realizadas sejam o mais próximo possível da situação atual do cidadão.

Motivos para se opor ao auxílio emergencial

De acordo com a Secretaria de Cidadania, não são todos os casos em que é possível contestar o auxílio emergencial falido. A agência publicou uma lista de motivos que permitem a Desafio de ajuda 2021. Veja quais são:

  • Menores – Cidadãos menores de 18 anos (exceto mães adolescentes);
  • Certidão de Óbito – Cidadão(s) com certidão de óbito;
  • Organizador da pensão por morte – Cidadão(s) com declaração de óbito – Organizador da pensão por morte;
  • Seguro-desemprego: os cidadãos beneficiam de seguro-desemprego ou seguro contra períodos de encerramento;
  • Membro ativo do SIAPE – O cidadão é funcionário federal;
  • Bônus RGPS – Cidadão/s com carteira assinada;
  • Ficha de trabalho intermitente ativo – O cidadão tem contrato de trabalho intermitente ativo;
  • Renda familiar mensal per capita – Cidadão(s) cuja renda familiar mensal seja superior a meio salário mínimo per capita;
  • Renda Total Acima do Limite do Benefício – Cidadão(s) com renda familiar mensal superior a três salários mínimos;
  • Subsídio de segurança social e/ou de segurança social – Os cidadãos recebem prestações de segurança social ou de segurança social;
  • Preso em regime fechado – O cidadão/s está/estão encarcerado em regime fechado e não pode beneficiar do Auxílio;
  • O professor Auxílio Reclução – Citoyen(s) é uma instituição de apoio prisional;
  • Detidos sem identificação do regime – O(s) cidadão(s) está(ão) preso(s) e não pode(m) receber ajuda (sem informação sobre o regime prisional);
  • Articulação com as Forças Armadas – Cidadão é funcionário público vinculado às Forças Armadas;
  • Brasileiro no exterior – Cidadão identificado pela Polícia Federal como residente no exterior;
  • Benefício Emergencial – BEm – Os cidadãos têm carteira assinada e recebem Bolsa de Conservação de Renda e Bolsa Emergencial de Emprego (BEm);
  • Familiar de militar com renda não identificada – Os cidadãos possuem familiar de militar com renda não identificada;
  • CPF não identificado: o cidadão não havia identificado seu CPF no banco de dados tributário brasileiro utilizado pela Dataprev no momento da análise de elegibilidade;
  • Estagiário do Governo Federal – Cidadão é estagiário do governo federal;
  • Residente do Governo Federal ou Médico Multiprofissional – Cidadão é Residente do Governo Federal ou Médico Multiprofissional;
  • Imobiliário – Os cidadãos viram todos os desembolsos do auxílio emergencial devolvidos ao governo federal por falta de movimentação de recursos;
  • Bolsista CAPES – Cidadão(s) é bolsista da Coordenação de Desenvolvimento de Pessoal de Nível Superior (CAPES);
  • Bolsa CNPQ – Cidadão(s) é bolsista do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ);
  • Funcionário ou estagiário do Poder Judiciário – O cidadão é funcionário ou estagiário de um órgão do Poder Judiciário;
  • Bolsa MEC – O(s) cidadão(s) recebe(m) bolsa(s) do Ministério da Educação;
  • Bolsa FNDE – Os cidadãos recebem bolsa do programa Fundo Nacional de Educação (FNDE).

A terceira parcela está prevista

O governo federal anunciou nesta terça-feira, 15, as novas datas do calendário para a 3ª parcela do auxílio emergencial 2021. O novo calendário adiantou as datas de crédito e saque para as 29 milhões de famílias autorizadas cadastradas no Cadastro Único (CadÚnico) e por meio das plataformas digitais da Caixa, aplicativo e site.

O ciclo de 3 créditos terá início no dia 18 de junho para os nascidos em janeiro e se estenderá até o dia 30 daquele mês, quando os nascidos em dezembro o receberão. Confira as novas datas para pagamento dos valores e liberação de saques:

mês do nascimento Data de crédito da conta Data de saque em dinheiro
Janeiro 18 de junho (era 20 de junho) 1º de julho (era 13 de julho)
Fevereiro 19 de junho (era 23 de junho) 2 de julho (era 15 de julho)
Marchar 20 de junho (era 25 de junho) 5 de julho (era 16 de julho)
abril 22 de junho (era 27 de junho) 6 de julho (era 20 de julho)
ele pode 23 de junho (era 30 de junho) 8 de julho (era 22 de julho)
Junho 24 de junho (era 4 de julho) 9 de julho (era 27 de julho)
Julho 25 de junho (era 6 de julho) 12 de julho (era 29 de julho)
Agosto 26 de junho (era 9 de julho) 13 de julho (era 30 de julho)
Setembro 27 de junho (era 11 de julho) 14 de julho (era 4 de agosto)
Outubro 29 de junho (era 14 de julho) 15 de julho (era 6 de agosto)
novembro 30 de junho (era 18 de julho) 16 de julho (era 10 de agosto)
dezembro 30 de junho (era 21 de julho) 19 de julho (era 12 de agosto)