Skip to content

O auxílio emergencial deve ser devolvido na declaração do IR 2022; compreender

Com a chegada de um novo prazo para apresentação da declaração de impostos, brasileiros estão preocupados com possível retorno do auxílio emergencial em 2022.

Quem recebeu fora das regras do programa recebeu o pagamento via SMS no celular cadastrado digitalmente – via site ou aplicativo da Caixa – no mesmo cadastro em que recebeu o atendimento emergencial. Quem tentar fraudar o sistema governamental e conseguir o dinheiro extra sem ter direito ao benefício pode ser acusado de mentira e peculato. A pena pode chegar a 5 anos de prisão.

Segundo o governo, alguns beneficiários recebiam as parcelas enquanto trabalhavam ou recebiam benefícios previdenciários ou previdenciários, além do seguro-desemprego, além de funcionários públicos e militares. Estes devem devolver os recursos espontaneamente ou na declaração do IR 2022.

Ao longo de 2021, o governo federal enviou mais três lotes de mensagens exigindo o retorno do auxílio emergencial, incluindo uma a 625.000 pessoas em novembro.

Após o envio do primeiro e segundo lotes de cobranças, aproximadamente R$ 66,3 milhões foram devolvidos aos cofres da União entre 18 de agosto e 18 de novembro. As mensagens foram enviadas dos números 28041 ou 28042 e o governo alerta que qualquer SMS enviado de números diferentes desses deve ser rejeitado para esse fim. A mensagem enviada tinha o seguinte conteúdo: “O CPF ***. 456.789 – ** tem taxa para devolver o auxílio emergencial. Devolva a taxa para gov.br/devolucaoae. Denuncie a fraude para gov.br/falabrae”segundo a Secretaria de Cidadania.

Como devolver o auxílio emergencial

O Ministério da Cidadania orienta que quem receber um SMS de solicitação de reembolso deve fazer login no site gov.br/devolucaoae e informar o número do CPF.

Após o preenchimento das informações, será emitida uma Guia de Arrecadação Sindical (GRU) para que o beneficiário possa efetuar o pagamento nos diversos canais de atendimento do Banco do Brasil, via internet, terminais de autoatendimento, agências bancárias ou mesmo em outros bancos .

Não é possível parcelar o GRU. Deve ser pago em uma única parcela e não há possibilidade de parcelamento.

Como devolver o auxílio emergencial na declaração do IR?

Quem quiser verificar se tem ações a serem devolvidas pode preencher o CPF e a data de nascimento no site do Ministério da Cidadania – Caso a devolução seja necessária, o site redirecionará o beneficiário para a emissão da GRU e indicará como será feita a devolução. obter.

Da mesma forma, quem recebeu a declaração anual de imposto (DIRPF) deve devolver os valores ao apresentar uma nova declaração de imposto. O governo já tem os dados dos inelegíveis e permitirá que eles enviem o formulário para a nova declaração de imposto de 2022 apenas com a declaração devidamente paga. Caso contrário, o contribuinte terá resultado negativo e seu nome será incluído na Dívida Ativa da União.