Skip to content

R$ 600 do auxílio emergencial retroativo aprovado; olha quem vai receber

Muitos cidadãos têm dúvidas sobre o pagamento das parcelas do auxílio emergencial retroativovalores que deveriam ter sido pagos no ano passado, mas acabaram sendo reduzidos pelos vetos do presidente aos projetos de lei que tratavam do assunto na época.

Após a promulgação da Lei 14.171/21 publicada no Diário Oficial da Federação em 11 de junho, a Câmara dos Deputados e o Senado aprovaram que o Governo faça novos desembolsos a esse público, pessoas que teriam direito ao benefício, mas não recebem os valores. em 2020.

Por isso, muitos beneficiários estão solicitando informações oficiais sobre quem receberá esses pagamentos retroativos, que serão de R$ 600, já que a lei se refere ao auxílio de 2020, que previa um valor de R$ 600 e um pagamento em dobro de R$ 600 ,1.200 R$.

Quem terá direito à assistência retroativa?

De acordo com a promulgada Lei 14.171/21, o pais solteiros, Independente de gênero. Essa lei altera a lei original do auxílio emergencial de abril de 2020, que previa uma cota de 1.200 reais para mães solteiras. No entanto, a nova lei agora inclui homens que eram chefes de família e não eram servidos na época.

Portanto, o governo está atualmente considerando como fazer isso pagamentos retroativos dessa diferença (R$ 600) a que corresponde (masculino ou feminino) e no ano passado não recebeu o dobro da quota. Bolsonaro vetou o plano na época, argumentando que o governo não tinha um banco de dados para verificar se o homem que havia solicitado a taxa de auxílio em dobro era de fato o ganha-pão.

Mas não foram apenas os homens que foram vetados na época. Muitas mães não puderam receber cotas dobradas no ano passado porque a primeira declaração foi feita incorretamente pelo pai. Portanto, durante o cruzamento dos dados, a Dataprev recusou a solicitação a ambos.

A nova lei também mudou a prioridade no sistema de recebimento de ajuda. Embora o pai tenha instruído o dependente a receber parte em dobro antes da mãe, a esposa terá preferência.

Em 2021, a família monoparental – quando apenas um dos pais é responsável pela criança – recebe R$ 375,00 no auxílio emergencial. Em 2020, as cinco primeiras parcelas foram de R$ 600 (R$ 1.200 para chefes de família).

– Ver Lei 14.171/21 que regulamenta o pagamento retroativo do auxílio emergencial

O ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou que o governo federal também deve prorrogar o auxílio emergencial 2021. A prorrogação do benefício vai até outubro, com o pagamento da 5ª, 6ª e 7ª parcela. O anúncio foi feito com ato promovido pela Frente Parlamentar do Setor de Serviços.

Veja o comunicado de Guedes para a prorrogação do benefício:

A terceira parcela está prevista

O calendário de pagamento da 3ª parcela para trabalhadores informais, desempregados, MEI e inscritos no Cadastro Único (CadÚnico) foi antecipado, conforme calendário divulgado pelo Ministério da Cidadania. Verificar:

mês do nascimento Data de crédito da conta Data de saque em dinheiro
Janeiro 18 de junho (era 20 de junho) 1º de julho (era 13 de julho)
Fevereiro 19 de junho (era 23 de junho) 2 de julho (era 15 de julho)
Marchar 20 de junho (era 25 de junho) 5 de julho (era 16 de julho)
abril 22 de junho (era 27 de junho) 6 de julho (era 20 de julho)
ele pode 23 de junho (era 30 de junho) 8 de julho (era 22 de julho)
Junho 24 de junho (era 4 de julho) 9 de julho (era 27 de julho)
Julho 25 de junho (era 6 de julho) 12 de julho (era 29 de julho)
Agosto 26 de junho (era 9 de julho) 13 de julho (era 30 de julho)
Setembro 27 de junho (era 11 de julho) 14 de julho (era 4 de agosto)
Outubro 29 de junho (era 14 de julho) 15 de julho (era 6 de agosto)
novembro 30 de junho (era 18 de julho) 16 de julho (era 10 de agosto)
dezembro 30 de junho (era 21 de julho) 19 de julho (era 12 de agosto)

Para o Bolsa Família, a terceira parcela do auxílio emergencial começa na quinta-feira, 17 de junho, e será desembolsada conforme cronograma mensal. Lembre-se que para este grupo o saque e a transferência já estão disponíveis na data em que o valor é depositado na conta.