Skip to content

Pix facilita as transferências bancárias

O Pix é uma nova ferramenta de transferência instantânea de pagamentos que foi lançada no final do ano passado para facilitar e agilizar a vida dos brasileiros. Ou seja, é uma forma mais fácil de receber, pagar ou transferir dinheiro. você pode fazer um foto usando um celular, tablet ou computador, o que for mais fácil para o consumidor.

Criado pelo Banco Central, o foto Permite transferir ativos entre contas em segundos, a qualquer hora ou dia.

Para usar esta ferramenta, basta salvar sua senha fotoalgum tipo de identificação do usuário, que pode ser CPF ou CNPJ, número de celular ou endereço de e-mail.

De acordo com os últimos dados do Banco Central, 133.877.957 milhões de chaves já foram registradas no país em dezembro de 2020. foto.

Qual é foto?

ISTO É foto É uma nova forma de pagamento criada pelo Banco Central. É totalmente digital, é instantâneo, o que significa que o dinheiro passa de uma conta para outra em não mais de 10 segundos. Isso pode ser feito a partir de uma conta corrente, uma conta poupança ou uma conta pré-paga. Na prática, ele permite que você faça, por exemplo, diretamente do dispositivo móvel qualquer pagamento ou transferência feita anteriormente por meio de TED, cartão ou boleto bancário. É totalmente gratuito para pessoas físicas e, segundo o Banco Central, barato para empresas.

Segundo o Banco Central, a foto Foi criado porque não existia no Brasil uma ferramenta eletrônica acessível, prática e instantânea. Em outras palavras, tratava-se de aumentar as opções disponíveis e democratizar o acesso aos meios de pagamento digitais. Além de aumentar a velocidade de pagamentos, o foto traz mais concorrência ao mercado, fornecendo serviços melhores e mais baratos ao consumidor. Também permite que o país reduza os custos de produção e distribuição de dinheiro. E pode ser um vetor de inclusão financeira para os milhões de brasileiros que hoje não têm acesso a serviços financeiros.

como usar o foto?

Para utilizar esta ferramenta, basta cadastrar a chave fotoalgum tipo de identificação do usuário, que pode ser CPF ou CNPJ, número de celular ou endereço de e-mail.

Na prática funciona assim: ao invés de pedir a agência, conta e dados pessoais do destinatário, ele pede apenas a senha foto. Portanto, em vez de inserir manualmente todos os dados bancários, a pessoa que, por exemplo, receberá o pagamento, insere apenas o número do celular. ao fazer um fotoo sistema identifica as informações da conta de crédito a partir dessa chave.

por que usar o foto?

Segundo o Banco Central, os brasileiros têm vários motivos para usar o foto:

– Para pessoas físicas, não há custos. Ou seja, é totalmente gratuito, independente de qual instituição financeira a pessoa seja cliente. Do lado corporativo, podem existir tarifas, negociadas com as instituições financeiras relevantes. Hoje mais de 700 estabelecimentos estão autorizados a oferecer esse serviço à população;

– O dinheiro é transferido instantaneamente, a qualquer hora do dia, em qualquer dia da semana;

– Não há limite mínimo para pagamentos ou transferências via foto. Isso significa que você pode negociar a partir de 0,01 BRL. Em geral, também não há limite superior para os valores. No entanto, as instituições que oferecem o foto pode estabelecer limites máximos de valor com base em critérios destinados a mitigar o risco de fraude e em critérios destinados a prevenir o branqueamento de capitais e o financiamento do terrorismo.

Como registrar uma chave foto?

Para usar o novo sistema de pagamento instantâneo, o cliente deve ter conta corrente, conta poupança ou carteira digital. A instituição financeira onde a conta está registrada deve ter um foto. Depois, basta cadastrar uma chave de endereço com a empresa onde você já possui a conta, que pode ser CPF ou CNPJ, e-mail ou celular. O botão foto é uma identidade facilitada. Vincule qualquer uma dessas informações básicas às informações completas que identificam a conta transacional do cliente.

Vale lembrar, porém, que não é necessário cadastrar uma chave para criar ou receber uma chave. foto. Apenas torna o processo mais fácil e rápido. É uma espécie de ferramenta de conveniência para pagadores e destinatários. Caso o cliente não tenha salvo essa senha, basta fornecer seus dados bancários, como nome, entidade financeira, agência e conta bancária e o CPF para o qual será feita a transferência.

Como registrar a chave foto?

Para registrar a chave fotobasta entrar no aplicativo de internet banking ou internet banking de sua instituição financeira e clicar foto. Todos os recursos estarão disponíveis lá. A partir daí, as pessoas podem gerenciar chaves, gerar códigos QR, enviar para foto alguém ou pagar uma conta.

De acordo com o Banco Central, cada conta individual pode ter até cinco chaves vinculadas, independentemente do número de titulares. Ou seja, se a conta for individual ou conjunta, pode ter no máximo cinco senhas foto. No caso de pessoas jurídicas, o máximo são vinte senhas por conta.

O Pix é seguro?

Segundo o Banco Central, a foto É totalmente seguro, pois possui “múltiplas camadas de proteção”. A informação trafega em uma rede separada da Internet, criptografada e protegida pela lei de sigilo bancário e pela lei geral de proteção de dados. operações através foto eles têm as mesmas medidas de segurança que as transferências TED, por exemplo. Segundo o Banco Central, qualquer fraude que ocorra com o foto Será de responsabilidade das instituições bancárias que oferecem os meios de pagamento.

Mas cuidado, segundo o Banco Central, o usuário do foto Você deve sempre prestar atenção aos links de entrada. E para não correr nenhum tipo de risco, é importante guardar a senha foto e sempre realizar as ações em ambiente seguro da instituição financeira, via internet banking ou aplicativo do banco.

Use o foto, o usuário deve tomar as mesmas precauções que outros meios eletrônicos, ou seja, não compartilhar senhas ou dados pessoais. Assim, todos podem usufruir com segurança dos benefícios da nova ferramenta.

Alguém pode usar minha senha para sacar dinheiro da minha conta ou executar outro tipo de golpe?

Não. Segundo o Banco Central, a chave serve apenas para facilitar a identificação do destinatário, ou seja, o destinatário da transação, facilitando a experiência de pagamento, pois reduz a quantidade de informações que o pagador precisa inserir para identificar o beneficiário. . da transação. .

Posso recolher impostos do Simples Nacionales abrangidos pelo DAS com o Pix?

Os contribuintes que optarem pelo Simples Nacional podem recolher os tributos abrangidos pelo Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS) junto ao Pix.

O DAS deve ser emitido pelo empregador diretamente no Site nacional simplificado ou pelo aplicativo MEI, versões iOS (loja de aplicativos) e Android (Google Play), destinado a microempreendedores individuais.

Quando o documento for emitido, um QR Code gerado automaticamente também estará presente no comprovante de pagamento. Com o QR Code o empregador pode efetuar o pagamento, sem qualquer outra ação por parte do usuário.

Simples Nacional é o nome abreviado do “Regime Especial Unificado de Recuperação de Impostos e Contribuições das Micro e Pequenas Empresas”. É um sistema compartilhado de arrecadação, arrecadação e controle de tributos aplicáveis ​​às Micro e Pequenas Empresas, previsto na Lei Complementar nº. 123, de 14 de dezembro de 2006, além dos microempreendedores individuais.

Para mais informações e solicitações, basta acessar o site do Banco Central: www.bcb.gov.br